September 28, 2014

Eclipse total da Lua (8 de Outubro de 2014)

Aspecto da lua parcialmente eclipsada a 9 graus de elevação do horizonte ocidental, como visto desde Rio Branco (Acre) as 6:30 da manhã do horário local.
Um eclipse total da lua ocorrerá próximo do alvorecer do dia 8 de Outubro de 2014 e será visível em boa parte da América do Norte, do Sul, do Pacífico e da Austrália. Observadores na parte ocidental da América do Norte, Havaí, Japão, Nova Zelândia e Austrália oriental poderão apreciar todo o evento. Na América do Sul apenas parte do eclipse poderá ser visto, limitando-se a sua fase inicial na parte ocidental dessa América. Ou seja, no Brasil, talvez a melhor capital para apreciar o evento será Rio Branco, no Acre. A figura acima ilustra o aspecto da lua semi-eclipsada no dia 8/10/2014 como visto desde Rio Branco, as 6:30 da manhã (horário local). Nesse momento, a lua se encontrará a aproximadamente 9 graus de elevação do horizonte ocidental.

Importante: esse eclipse não será visível na parte oriental da América do Sul ou Europa.

Referencias

Mais informações sobre esse eclipse pode ser acessado em EclipseWise.com.

September 14, 2014

O encontro vermelho (conjunção de Antares e Marte em Setembro de 2014)

Fig. 1, Aspecto do céu em direção à constelação de Escorpião no dia 29 de Setembro de 2014, aproximadamente 23:00 UT, mostrando Marte, Antares e a Lua crescente como visto desde o hemisfério sul.
O planeta Marte e a principal estrela da constelação de Escorpião, Antares, estão, em Setembro, envolvidos em um movimento de aproximação que culminará com uma conjunção (junto com a Lua) no dia 29.

A principal característica dessa conjunção é a similaridade de aspecto entre Antares e Marte, que se mostram como astros avermelhados. 

Na data do dia 29 de Setembro, a Lua se junta ao par, como pode ser visto na Fig. 1. Haverá um alinhamento, com Marte e Antares "à esquerda" da Lua em sua fase crescente, para quem se encontra no hemisfério sul. Aparentemente, não se percebe nenhuma diferença de brilho entre Marte e Antares que apresentarão, em 29/9, as magnitudes 1,05 e 0,97, respectivamente. 

Na verdade, a aproximação de Marte com o interior da constelação do Escorpião poderá ser acompanhada durante o mês de Setembro, executando Marte uma "laçada" no seu movimento retrógrado, distanciando-se de modo aparente do planeta Saturno mais à leste. A presença de Marte em Escorpião modifica a figura geométrica desse asterismo para quem está acostumado a contemplar seu aspecto no céu.

Trata-se de bons momentos para tomadas fotográficas que registrem a bela aproximação desses dois astros vermelhos. 

August 19, 2014

A última "super lua" de 2014 (9 de Setembro de 2014)

Diferença de diâmetro da lua no perigeu (esquerda, a chamada "superlua") e apogeu. Imagem: Christopher Picking.
O ano de 2014 está sendo repleto de raros acontecimentos relacionando o sol e a lua. Entre eles estão as chamadas "Luas cheias de perigeu" ou "superluas" que essencialmente são momentos em que a lua na fase cheia também se encontra em sua posição mais próxima da Terra (o chamado perigeu).

Até hoje, em 2014, houve duas super luas: 12 de julho, com a fase cheia que ocorreu a 21 horas antes do perigeu e o de 10 de agosto, a mais próxima de todas, com a cheia a ocorrer 27 minutos depois do perigeu.

O dia 9 de Setembro terá a última de 2014, com a lua cheia ocorrendo 22 horas depois do perigeu.

Algumas curiosidades

  • O termo "superlua" não é oficial na comunidade astronômica, que prefere "lua cheia de perigeu" (em inglês também se usa o nome "proxigean full moon");
  • A passagem da lua pelo perigeu pode ocorrer em qualquer fase, mas o fenômeno é mais notável quando ocorre durante a lua cheia.
  • No perigeu, o diâmetro da lua é aproximadamente 14% maior do que no apogeu;
  • O brilho de uma super lua é aproximadamente 30% maior do a lua do apogeu;
  • A frequência de ocorrência do fenômeno é de aproximadamente 20 anos;
  • A proximidade com o perigeu na ocorrência de cheia tem um efeito muito pequeno sobre as marés. A diferença em altura, como consequência da maior proximidade, é de aproximadamente 2,5 cm. Portanto, é mítica a crença de que a super lua possa causar revolução nos oceanos e mares.

Obviamente, a ocorrência do fenômeno tem importância meramente contemplativa.

Referências